Nunca encontrei ninguém completamente incapaz de aprender a desenhar.

John Ruskin, intelectual inglês do século XIX


Pensamos que o Diário Gráfico melhora a nossa observação, faz-nos desenhar mais e o compromisso de colaborar num blogue ainda mais acentua esse facto. A única condição para colaborar neste blogue é usar como suporte um caderno, bloco ou objecto semelhante: o Diário Gráfico.

terça-feira, 26 de setembro de 2017

a Riscar o Património_ 2017_ Castelo Branco_Serra da Gardunha. Desenhos de João Rui Frade





Museu do Azulejo e Teatro Ibérico



(a) Riscar o Património


 
 


Que grande dia. Local com tanto para desenhar. Acima de tudo a partilha e as conversas.

Ficam os dois desenhos que lá fiz.

(a)Riscar o Património/Heritage Sketching #01

A última vez que desci à lagoa do Fogo pareceu-me muito mais suave e fácil. Os degraus - atualmente - existentes têm um espelho muito alto o que obriga a um esforço razoável na descida e maior ainda na subida.

(Aguarela, grafite, carimbo, lápis de cor e caneta caligráfica)                                                         «in situ»

Siza Vieira




Vila Maria Luísa


Kaika, miau...




Nazaré


a Riscar o Património_ 2017_ Castelo Branco_Serra da Gardunha. Desenhos de Jorge Portugal



(a) Riscar o Património 2017, em Torres Vedras

No Encontro anual, (a) Riscar o Património, desta vez, fomos visitar Torres Vedras, num encontro organizado pelo André Duarte Baptista, pelo Municipio, pela Cooperativa de Comunicação e Cultura e teve como parceiros a D.G.P.C., os USKPT, a Quinta da Folgorosa, o Centro de Dia de Dois Portos e Camôes (Buligueira), e Associação de Socorros e a União de Freguesias de Dois Portos e Runa.  Fomos de camioneta da C.M. de Torres Vedras, para a Quinta da Folgorosa, onde fomos muito bem recebidos pelo Engº. José Milícias, que explicou tudo sobre a origem da Quinta e a sua história até aos dias de hoje, assim como a forma de vinificação do vinho.
Depois fomos desenhar. Foi-nos oferecido o almoço, pela Junta de Freguesia.


O moinho e as vinhas, que estão nos rótulos dos vinhos.
De tarde fomos desenhar no Santuário Nossa Senhora dos Milagres.

A vista de uma das partes laterais do Santuário Nª Srª dos Milagres.




segunda-feira, 25 de setembro de 2017

(A) Riscar o Património Torres Vedras II

A manhã terminou com uma excelente prova de vinhos e um almoço cheio de convívio e alegria. Da parte da tarde fomos até à Ermida da Nossa Senhora dos Milagres um local muito inspirador. Fui à descoberta e o meu primeiro desenho foi feito lá em baixo na fonte.

Depois de terminar o que custou mais foi voltar a subir até à Ermida.
E quando cheguei cá a cima a Rita já estava a terminar o segundo desenho. A lição da manhã estava a dar frutos.



Desenho 1 - Rita Procópio (11anos)
Desenho dois: Rita Procópio (11 anos)

Terminamos o segundo desenho em conjunto e depois fomos explorar as traseiras da Ermida.
A tarde estava a amena e ainda deu para fazer mais uns desenhos.



Faltam os desenhos da Inês e da Júlia. Desta vez desenhou a família toda.


(a)Riscar o Património, Lisboa


(a)Riscar o Património 2017


Pela primeira vez, aconteceu o (a)Riscar o Património em Vila do Conde. Muitas potencialidades tem aquela cidade, e belíssimos desenhadores também. 




Ecolines



(A)Riscar o Património

Esta porta, semi-entaipada, foi o primeiro desenho que fiz para o (A)Riscar o Património 2017, no Museu do Traje.

Lisboa Oriental

No encontro "Lisboa Oriental", fomos desenhar o Armazém Vinicola "Abel Pereira da Fonseca", na Praça David Leandro da Silva.

Um edifício centenário.

(A)Riscar o Património 2017 em Dois Portos - Torres Vedras

Numa organização do Município de Torres Vedras, da Cooperativa de Comunicação e Cultura de Torres Vedras, tendo como parceiros a DGPC, os USKPT, a Quinta da Folgorosa, o Centro de Dia de Dois Portos e Carmões (Buligueira), e Associação de Socorros e a União de Freguesias Dois Portos e Runa, lá fomos (a)riscar o património.
A manhã na Quinta da Folgorosa passou-se num ápice com o Eng.º Melícias a enquadrar historicamente a quinta - o primeiro registo remonta a 1711, imagine-se! Comecei com uma aguarela mas não houve tempo para acabá-la antes da partilha de desenhos. Se a terminar algum dia, venho aqui pô-la. Mas ainda consegui rabiscar a malta na prova de vinhos e o André Duarte Baptista ali a "roubar" uns riscos entre a reportagem fotográfica que esteve a fazer, a atenção que nos dava enquanto organizador e a azáfama de manter as tropas na ordem, não fosse o programa do dia atrasar-se.
Depois daquela aguarela, para rentabilizar melhor o dia, optei por desenhar in situ e aguarelar em casa.


De tarde seguimos para a ermida de Nossa Senhora dos Milagres -  as vistas são fabulosas, mas eu virei-me mais para a dita...



Retratos à lá 5 minute #2

No metro, dias 19 e 20 de Setembro...






O Caminho português da costa

 
O Caminho da Costa, é, de todos os Caminhos de Santiago, o mais recentemente reconhecido. Começa no Porto, na Sé, e tem grande parte do seu percurso junto ao mar. É um caminho lindíssimo que vale mesmo a pena conhecer!
 
Fui convidada por uma editora espanhola, juntamente com a Teresa Ruivo, a desenhar o percurso em Portugal, e a Isabel Seidell e a Blanca Suelves o percurso em Espanha. Esses desenhos farão parte de um livro a lançar em Novembro durante a segunda edição da Compostela Ilustrada, um Encontro de Cadernos de Viagem, em Santiago de Compostela.
 
Estes são dois desenhos (em caderno), dos muitos que fiz este verão em vários pontos do Caminho.
 
E para quem tiver curiosidade aqui vai o link para a inscrição e mais informações acerca do evento Compostela Ilustrada:
 
 
Passagem pelos moinhos da Apúlia


A chegada a Vila do Conde

Desafio 81 - A impressora do escritório


Este desafio foi mesmo um desafio para mim. Desenhar as entranhas da minha "colega" de escritório. Sei mudar os toners, mas quando observei o interior para desenhar, nem sabia onde começar a riscar. Tem personalidade e agora também já fica no meu caderno.